Pai de menino que teve braço mordido por tigre no Paraná é condenado

O caso do menino que teve o braço amputado após receber uma mordida de um tigre no Zoológico de Cascavel, região oeste do Paraná, ganhou novos contornos nesta quinta-feira (28). A juíza Fernanda Consoni do 1º Juizado Especial Criminal de Cascavel condenou o pai do jovem a três anos de reclusão pelos crimes de lesão corporal e omissão pelo ataque ocorrido em 2014.

A sentença da juíza prevê que Marcos do Carmo Rocha cumpra sua pena em regime aberto ou com prestação de serviços comunitários e restrição de circulação em horários determinados. Consoni justificou o agravamento na decisão devido a amputação no braço de Vrajamany Fernandes Rocha.

Consoni também apontou que Marcos não agiu em nenhum momento para evitar o ataque do tigre e que inclusive incentivou Vrajamany a posar para fotos na entrada da jaula, além de provocar o animal. Na visão da magistrada, não houve zelo e atenção do pai durante o ocorrido.

A cena chegou a ser filmada por outros visitantes do zoológico, que registraram quando Vrajamany pulou a grade de proteção e ficou na frente da jaula, antes do tigre morder o braço do menino e causar as lesões que posteriormente resultaram na amputação do membro.

Ainda existe a possibilidade de recurso para a defesa de Marcos do Carmo Rocha.

Fotos