Mulher que levou marido morto a banco para "prova de vida" é indiciada

A Polícia Civil de Campinas, São Pqaulo, indiciou Josefa de Souza Mathias, de 58 anos, por vilipêndio de cadáver (desrespeito ao corpo) e tentativa de estelionato.
Ela levou o marido, Laércio Della Colleta, de 92 anos, a uma agência do Banco do Brasil para fazer uma "prova de vida" para obter uma nova senha para movimentar a conta bancária, só que ele estava morto havia pelo menos 12 horas antes. Em depoimento, ela negou a tentativa de fraude.
A Polícia ouviu dois funcionários do banco que presenciaram a confusão que aconteceu no dia 2 de outubro. Josefa chegou com Laércio em uma cadeira de rodas, acompanhada de um casal de amigos, quando pediu para obter uma nova senha para conseguir sacar a aposentadoria do marido.
Ela havia perdido a combinação anterior, e só poderia obtê-la se tivesse uma procuração ou levasse o homem presencialmente - a "prova de vida". Ela nega que tentou aplicar fraude na aposentadoria dele.
Josefa e Laércio estavam em uma união estável há pelo menos 10 anos, e que o objetivo da ida ao banco era sacar a parcela da aposentadoria do mês. O homem fazia isso sozinho até então.

Fotos